16 de dezembro de 2010

Você diz não mudar, é mentira, você mudou. Não se culpe, pois também mudei, ainda não sei se foi para melhor ou para pior, mudança até faz bem, ruim mesmo é quando vejo você mudando a rota que eu tinha planejado, engraçado, planejei algo para nós, só esqueci de perguntar: - oi, você vem comigo?, Apenas peguei tua mão e seguimos, aí senti você solta-lá, foi tão leve e rápido, que juro nem sentir, você parou e desviou de rota, pegou outro caminho, um atalho, sei lá.sei que quer a felicidade logo, e talvez pense que ela esteja logo ali na outra esquina, eu não sei, então vai, mas olha, não posso te esperar aqui parada, estática, ok.Se lembra que eu disse que meus pés estavam doendo? Eles ainda estão, mas eu não parei de caminhar que é pra você também não desanimar, acho que não deu muito certo essa estratégia boba de juntar o leite derramado, então vai, vai por teu caminho que eu vou pelo meu, eu mudei, e quase não tenho medo de seguir sozinha.

Um comentário:

Guilherme Sakuma disse...

Meu, eu gosto disso. Jogado assim, direto. Queria ler um livro inteiro escrito assim.

Arquivo do blog